Administrador: Ep. 2 Surge o RH e Peter Drucker

Ontem eu falei do “primeiro” administrador, bem, na verdade, dos dois primeiros. Taylor e Fayol. Taylor com a administração científica, focado no chão de fábrica e Fayol focado na gestão das fábricas. Hoje, que tal continuarmos essa história?

A administração, por ser uma ciência relativamente nova, ainda está em processo de evolução e de aprimoramento e, com o avanço das inovações, está se tornando um campo cada vez mais dinâmico e menos previsível.

Caso você não lembre, a administração científica, de Taylor, estudava os tempos e movimentos e possuía 4 princípios, que eram: planejamento, preparo, controle e execução. A escola clássica, de Fayol, focada na alta gestão, possuía 14 princípios, divisão, autoridade, unidade, entre outros.

Administrador
Fonte: (reprodução/internet)

E ai, sabe quando e por que começou a existir RH nas empresas? O nome Elton George Mayo te é familiar? Já ouviu falar do Experimento de Hawthorne?

Elton George Mayo, o administrador de pessoas

Quem percebeu que as relações humanas eram importantes dentro das empresas, o que originou o departamento do Recursos Humanos (aqui as pessoas eram vistas como recursos, não como indivíduos, por isso o nome RECURSOS humanos) foi Elton George Mayo.

ANÚNCIO
Administrador
Fonte: (reprodução/internet)

Pesquisando qual era o melhor nível de claridade para que os colaboradores produzissem, ele selecionou uma quantidade X de funcionários e os dividiu em 2 grupos. Um ficou em uma sala com iluminação estável, e outra sala com a iluminação variável.

Eles queriam ver se os funcionários produziam melhor no claro, ou no escuro. O resultado? Os dois grupos produziram mais, foi quando perceberam que, na verdade, o que havia gerado o crescimento da produtividade era o fator psicológico.

Como os funcionários sabiam que estavam sendo observados, se empenharam mais, o que gerou um aumento na produtividade. E assim, o ambiente de trabalho começou a ser estudado e valorizado.

Graças a Elton Mayo que os gerentes passaram a se preocupar em como motivar seus colaboradores, com o passar do tempo, esse estudo foi evoluindo mais e mais. Então, na década de 1940 surgiu a Teoria das Relações Humanas, que depois recebeu o nome de Teoria do Comportamento Organizacional.

Ao infinito, e além! Surge Peter Drucker

É, dai em diante das mudanças começaram a acontecer de forma cada vez mais rapidamente. Em 1950, foi desenvolvida a Teoria Estruturalista, que buscava integrar as teorias das escolas anteriores, com início na Teoria Burocrática, de Max Weber, que se baseava na racionalidade.

Em 1970 começou a Teoria de Sistemas, abordando a empresa como um sistema aberto, em contínua interação com o meio ambiente. Também é o início da Teoria da Contingência, que via a administração como dependente do ambiente externo.

Já ouviu falar de Gestão Descentralizada? É só uma pequena herança do “pai da administração moderna”, Peter Drucker. No pensamento de Drucker, uma organização precisa ser vista como um conjunto de suas áreas.

Administrador
Fonte: (reprodução/internet)

Resumindo a história de Peter Drucker, ele nasceu em 1909, na Áustria, se formou em Frankfurt, Alemanha, em 1932 ele conquistou seu PhD em Direito Internacional. Em 1937 foi para os Estados Unidos da América, atuando como correspondente para alguns jornais britânicos.

Na década de 1940, ele conheceu a General Motors, ele gostou e em 1946 teve um livro publicado. Ainda na década de 1940, ele começou a ensinar filosofia e política. Em 1950 Drucker iniciou a carreira que permaneceria por 21 anos. Professor de Gerenciamento. Ele deu aula até os 93 anos, e faleceu com 96 anos, no ano de 2005.

Para Peter Drucker, o objetivo básico do gerenciamento é inovar, e inovação envolve novas ideias, combinações de novas e velhas ideias e, por fim, adaptação de ideias à outros campos. Além, é claro, de incentivar outros a inovarem.

Uma organização eficiente possui uma estrutura que pode ser dividida em três tópicos:

  • Ser organizada por desempenho;
  • Ter o mínimo de níveis de gerenciamento; e
  • Treinar os sucessores na gestão.

Ou seja, para ele, o foco do administrador deveria ser estratégico, quanto menos “inchada” a organização, melhor. Ele acreditava que os funcionários deveriam ser autogerenciáveis, para que o administrador da investisse seu tempo no planejamento estratégico.

Para finalizar, que tal uma frase de Peter Drucker que exemplifica a importância que ele dava para o planejamento estratégico? “Não há nada tão inútil quanto fazer eficientemente o que não deveria ser feito”.

Há ainda muitos outros nomes que mudaram a administração no decorrer do tempo, como Porter, com suas 5 forças estratégicas. Ou Kotler que é o “Pai do Marketing”, Schumpeter que foi um dos primeiros a estudar a inovação. Enfim, a base da administração você já conhece agora.

ANÚNCIO