Qual o melhor curso na busca por emprego?

Ultimamente, encontrar um emprego anda bem complicado, não é verdade? Você está desempregado, deseja entrar no mercado de trabalho, no entanto é exigido formação, qualificação profissional, cursos técnicos, etc e muitas vezes você não sabe o que fazer.

A Educação Profissional tem diferentes formas de oferta. No Brasil, por muito tempo tem sido valorizada, e até mesmo entendida, que somente a formação em curso de nível superior de bacharelado ou licenciaturas são eficientes.  

Mas a Educação Profissional e Técnica – EPT, tem sido o novo coringa para quem deseja novos cargos. Muitos estudantes que já concluíram o ensino superior, têm voltado às unidades escolares em busca de um curso técnico ou de uma qualificação profissional.

Curso Técnico
Fonte: Imagem Internet

Contudo, em meio à tantas novas ofertas de cursos, qual escolher? Você sabe qual caminho trilhar nos estudos?

Cursos livres

Os cursos livres, como o próprio nome já fala, são formações rápidas para aperfeiçoamento de uma formação ou até mesmo complementação dessa formação.

Podem ocorrer em um evento, ou ser ofertado por instituições do sistema S, como exemplo, o projeto do Sebrae sobre empreendedorismo, ou curso de línguas como o Duolingo dentre outras formas de oferta.

Cursos Técnicos

Os cursos de qualificação profissional são também chamados cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC). São cursos que possuem carga horária de 200 a 400 horas, o governo federal lançou o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), criado pelo Governo Federal em 2011, por meio da Lei nº 12.513.

A finalidade do Pronatec é de ampliar a oferta de cursos de Educação Profissional e Tecnológica (EPT), por meio de programas, projetos e ações de assistência técnica e financeira.

Para melhor organizar esses cursos, foi lançado o Guia Pronatec, com um cardápio de cursos, carga horária mínima de cada curso, o perfil profissional de cada um deles, a escolaridade exigida e a idade mínima para realizá-lo.

Os cursos técnicos podem ser feitos ao mesmo tempo que o Ensino Médio ou logo depois de concluir. Esses cursos precisam de aprovação do Conselho de Educação que regulamenta o sistema educacional no local onde é ofertado.

O Ministério de Educação publicou o Catálogo Nacional de Cursos Técnicos que contém informações sobre cargas horárias mínimas; perfil profissional de conclusão; infraestrutura mínima requerida das instituições; campo de atuação; ocupações associadas à Classificação Brasileira de ocupações (CBO); normas associadas ao exercício profissional.

Apresenta ainda, as possibilidades de certificação intermediária em cursos de qualificação profissional, de formação continuada em cursos de especialização e de verticalização para cursos de graduação no itinerário formativo.

Há ainda a formação técnica de tecnólogo, um curso de graduação e também a especialização dessa graduação. Percebe-se, assim, que a educação profissional se destina a todas as pessoas, independente de classe ou posição social.

É importante que você tenha clareza de qual profissão melhor se identifica, pois ao começar sua formação na Educação Profissional poderá fazer primeiro um curso de qualificação profissional e depois ir para um curso técnico e aproveitar os estudos ou créditos, ou seja, tudo faz parte de seu caminho de formação, por isso é importante fazer os cursos da mesma área.