Emprego para jovens e idosos: conheça o plano do governo

Os jovens e os idosos, são as pessoas que mais tem dificuldade em se inserir no mercado de trabalho. No caso dos jovens o que mais pesa é a falta de experiência, ou cursos na área ao qual desejam atuar. De acordo com uma pesquisa divulgada IPEA, mostra que a taxa de desemprego no Brasil está em torno de 11%, entre os jovens esse valor aumenta para 26%.

No caso dos idosos essa situação é um pouco mais complicada. A maioria das empresas não contratam profissionais com uma idade avançada por acreditarem que esses profissionais não possuem uma aptidão física para desenvolver as funções, apesar da capacitação e experiência da maioria deles. 

plano governo
Fonte: Imagem Internet

O governo federal vai lançar em novembro de 2019, uma série de medidas para facilitar o acesso dessas pessoas ao mercado de trabalho. Se você se encaixa em alguma dessas categorias, fique atento aos detalhes do plano do governo.

Como isso será possível?

O governo irá diminuir as taxas pagas pelos empregadores, caso eles contratem jovens de 18 a 29 anos, ou pessoas com idade acima de 55 anos. Alguns técnicos que analisaram a situação, afirmam que o FGTS cairá de 8% para 2%, esse e outros benefícios, terão uma duração de 2 anos.

Um risco que estaria previsto para ocorrer, é que alguns empregadores poderiam tentar fazer a substituição de alguns funcionários só para se beneficiar das medidas. Contudo, o governo já disponibilizará medidas para que isso não ocorra.

Quais são as medidas?

Existem algumas medidas preliminares anunciadas e vamos comentar sobre algumas delas aqui. Em primeiro lugar, a ideia é gerar capacitação. Para isso vai haver uma parceria entre o governo e algumas instituições privadas que trabalham com capacitação profissional. Essa medida será estendida para todo o territória nacional, porém, ainda não se saber detalhes de como isso vai funcionar. 

Também será implementado, um programa de microcrédito para famílias baixa renda e para pessoas que não possuem acesso a serviços bancários. Os beneficiários poderão ter acesso a crédito, principalmente se o objetivo for algum tipo de investimento.

Empreendedores individuais e aqueles que atuam em grupos como cooperativas poderão participar do plano, independente se atuam de maneira formal ou informal. A conta poderá ser aberta de maneira gratuita, e os gastos deverão ser divididos (no caso das contas em grupo) para que se diminua o risco de calote. 

Haverá uma ação, para ajudar a recuperar trabalhadores afastados das suas atividades por motivos de doença ou acidente. Logo mais, serão anunciados alguns outros detalhes, no entanto, vale a pena ficar alerta para poder se beneficiar com algumas dessas medidas. A nova modalidade de contratação será instituída através de uma medida provisória. 

Vale a pena participar do programa?

Se você se encaixa em alguns dos perfis mencionados aqui e está em busca de uma nova recolocação profissional, ou gostaria de uma oportunidade para empreender, com certeza vale a pena avaliar as condições do governo. Lembre-se que em uma jornada profissional é importante abraçar todas as oportunidades que aparecem, objetivando suas conquistas futuras.