4 maneiras de o trabalho mudar após a Covid e 2 erros que os líderes podem cometer

4 maneiras de o trabalho mudar após a Covid e 2 erros que os líderes podem cometer
Foto: (reprodução/internet)

Imagine que um ano atrás, alguém diria que ficaríamos todos presos em nossas casas por meses, andando na rua com máscaras no rosto e que jantares, viagens e turismo parariam quase por completo? Provavelmente teríamos pensado que essa pessoa tinha deixado sua imaginação tirar o melhor deles!

Hoje, sabemos que o COVID-19 afetou muito nossas vidas, inclusive nossas formas de trabalhar. Enquanto várias economias estaduais e nacionais estão lentamente começando, parece que os “velhos tempos” de antes da pandemia não voltarão. Parte dessa mudança é para melhor.

ANÚNCIO

Nesta postagem, vamos dar um zoom nas consequências para aqueles que estão acostumados a trabalhar em um ambiente de escritório ou que estão ansiosos para voltar a trabalhar. Acredito que veremos a mudança no trabalho após o COVID de 4 maneiras principais.

Além disso, discutiremos duas armadilhas principais para os líderes neste novo cenário. Cair nesses erros fáceis de cometer pode mudar o equilíbrio de sua organização de uma experiência positiva para uma experiência prejudicial para a empresa e seus funcionários.

O trabalho remoto é o novo normal

Ainda não se sabe como exatamente funcionará em cada empresa, mas está claro que o trabalho remoto veio para ficar. Depois de serem forçados a fazê-lo, empregadores e funcionários agora concordam que o trabalho remoto pode ser tão eficaz quanto trabalhar no escritório.

Eles também descobriram benefícios ocultos para o trabalho remoto que eles gostariam de continuar a desfrutar. Podemos ver alguns cenários diferentes se manifestando como resultado:

  • Empresas que ainda não abriram seus escritórios e estão questionando se deveriam (nunca) abrir.
  • Negócios com horários variáveis, combinando o trabalho de casa com o trabalho no escritório.
  • Organizações que permitem que seus funcionários decidam quando e por quanto tempo eles virão para o escritório.

Na verdade, as organizações que esperam que os funcionários estejam presentes o tempo todo no escritório se tornarão uma minoria e serão rotuladas como “antiquadas” ou “arcaicas”. Uma vez que o emprego seja recuperado, eles podem achar mais difícil atrair os melhores talentos.

Leia também: Por que mudar é difícil… e bom

Consequentemente, o nível de autonomia que os funcionários têm em qualquer organização será proativamente promovido nas descrições de cargos como “benefícios” e será uma indicação da modernidade da organização.

Mudanças nos critérios de contratação

As organizações que adotam o trabalho remoto, mesmo em um modelo híbrido, precisam ajustar seus critérios de seleção no processo de contratação.

É mais fácil falar do que fazer. O maior fator de sucesso para trabalhar em casa é a “confiança”. O problema com palavras como “confiança” e “confiabilidade” como critérios é que esses são difíceis de avaliar ao fazer uma nova contratação.

Os funcionários que trabalham em casa precisam ter um senso de responsabilidade inerente e a capacidade de trabalhar com níveis estendidos de autonomia. Eles também precisam se sentir investidos no sucesso da empresa.

Ao projetar uma descrição de cargo, os gerentes de contratação precisarão considerar quais serão as responsabilidades do funcionário e em que medida e em que momentos é necessária a presença física no escritório.

Além disso, será essencial especificar a importância de estar continuamente disponível durante o “horário normal de expediente”, quando as pessoas estão trabalhando em casa.

Quando as pessoas trabalham em casa, é quase certo que suas vidas profissional e privada se confundem. Uma maneira de contornar isso é colocar mais ênfase nas saídas da função, em vez de nas horas investidas.

4 maneiras de o trabalho mudar após a Covid e 2 erros que os líderes podem cometer
Foto: (reprodução/internet)

Ainda assim, você precisa definir quais comportamentos são aceitáveis ​​e quais não são. Como em qualquer relacionamento, trata-se de “gerenciamento de expectativas”.

Alguns empregadores podem esperar que seus funcionários estejam disponíveis 24 horas por dia, 7 dias por semana, enquanto os funcionários podem querer ter total autonomia para decidir quando e por quanto tempo trabalhar.

Para evitar conflitos e mal-entendidos, tanto o empregador quanto o empregado precisarão se certificar de que haja alinhamento nas “formas de trabalhar” e que haja linhas de comunicação abertas quando um ou outro precisar se desviar disso.

À medida que isso se torna normalizado, os candidatos passam a esperar essas informações também no decorrer do processo de contratação.

As métricas de sucesso vão mudar

O sucesso dos funcionários também será medido de forma diferente quanto mais trabalho remoto for criado.

Não será tanto sobre seus esforços, mas mais sobre seus resultados específicos nos objetivos. Esse sistema de avaliação pressupõe que os gerentes saibam o que desejam e articulem as metas com clareza, traduzindo-as em ações e responsabilidades específicas para os membros da equipe.

Os colaboradores precisam ter a capacidade de trabalhar com mais autonomia para a realização desses objetivos e atuar como “self-starter” dentro das orientações fornecidas. Eles também precisarão ter habilidades de comunicação para compartilhar como realizaram ou superaram as expectativas.

Isso certamente criará uma oportunidade de mercado interessante para empresas de tecnologia. Muito parecido com o software disponível para gerenciar equipes de vendas que trabalham remotamente, prevejo que haverá software desenvolvido para gerenciar trabalhadores domésticos.

Veja também: Novo emprego, mesma empresa – e agora?

Os vendedores estão acostumados a trabalhar de forma independente e sabem que seus resultados estão conduzindo sua avaliação de desempenho (e, portanto, não suas entradas).

Para muitos funcionários de escritório, essa será uma mudança significativa na orientação para o trabalho: a produtividade será a chave e o principal motor do sucesso. Um efeito colateral positivo pode ser que haverá menos espaço para políticas internas, uma vez que os resultados são claros e aqueles que obtêm resultados receberão mais atenção.

Um novo tipo de cultura empresarial

As pessoas querem pertencer. As empresas mais bem-sucedidas são aquelas com uma cultura forte. Há muita verdade na afirmação de que “A cultura vence a estratégia”. O risco de trabalhar remotamente, é que a relação entre a empresa e o funcionário se torne mais transacional e a cultura seja enfraquecida.

Será imperativo para as empresas com funcionários remotos duplicar a cultura de construção.

Muitas das experiências positivas que muitos empregadores e funcionários tiveram até agora enquanto trabalhavam remotamente durante a pandemia são consequência de uma cultura empresarial saudável e eficaz. A “cultura” é mais rapidamente compreendida por meio da experiência direta e construída ao longo do tempo.

Se as pessoas trabalham em casa na maior parte do tempo, serão necessários esforços adicionais da organização para construir uma cultura vencedora. Primeiro, permanece a necessidade de reuniões físicas regulares e interações, pelo menos ocasionalmente.

Mais do que no passado, essas reuniões também precisam considerar um nível de ação simbólica e ritual. Os organizadores precisarão estar cientes de como criar uma experiência que faça os funcionários ansiarem por ir para o escritório e interagir com seus colegas.

Praticamente, também é importante construir cultura. Por exemplo, certifique-se de que o espaço de trabalho digital e as salas de reuniões virtuais tenham a marca e representem a missão da empresa.

4 maneiras de o trabalho mudar após a Covid e 2 erros que os líderes podem cometer
Foto: (reprodução/internet)

Mas, além da forma, é ainda mais importante que as empresas sejam claras sobre sua identidade: o que representam e qual é seu propósito. Essas não podem ser palavras vazias, mas precisam ser tangíveis em todos os aspectos do negócio.

Os funcionários também precisam estar diretamente envolvidos na concretização desse propósito, e seria bom se recompensas e remunerações internas estivessem associadas a isso.

As melhores empresas têm um propósito que está alinhado com os pontos de paixão de seus colaboradores. Isso significa que as empresas com foco unidimensional no valor para o acionista terão dificuldade em motivar seus funcionários e estão fadadas ao fracasso.

Líderes, cuidado!

O trabalho remoto pode criar benefícios de custo significativos para os negócios, mas também pode ter efeitos prejudiciais que acabarão por ser mais caros do que benéficos. Aqui estão alguns erros simples, mas terríveis, que os líderes podem cometer no novo cenário.

Sendo exclusivamente motivado economicamente

O trabalho remoto oferece benefícios financeiros significativos para as empresas. Pode ser atraente reduzir despesas gerais e de escritório mantendo seus funcionários remotos, mas o dinheiro não deve ser o único foco. Se isso acontecer, você acabará com uma equipe do que Charles Handy escreveu em 1994, “capas de chuva vazias”.

O que significa ter uma força de trabalho de capas de chuva vazias? Se você valoriza os funcionários apenas por sua eficiência e eficácia financeiras, você arranca o coração de uma organização e a equipe se torna descartável.

Se isso acontecer, os funcionários retribuirão o favor e priorizarão seus interesses próprios acima do negócio. Uma organização sem inspiração está cavando sua própria cova e destruindo todo o seu valor agregado para os clientes.

Ao contrário, mais do que nunca as empresas precisam (re) definir sua distinção em relação à concorrência e executá-la incansavelmente, com uma força de trabalho inspirada e motivada que é recompensada por assumir o controle.

As organizações que são consequentes e consistentes serão recompensadas com a confiança e lealdade de seus funcionários e serão aquelas que prosperarão.

Baseando-se em valores e habilidades de liderança desatualizados

O trabalho remoto requer um estilo diferente de liderança. Pode muito bem ser que os líderes que foram eficazes em um ambiente de escritório, falhem miseravelmente remotamente.

Particularmente, agora entraremos em águas turbulentas pós-COVID-19. Todo gerente de negócios que pensa que sair dessa pandemia será um mar de rosas, e é só uma questão de voltar ao que costumava ser, terá uma surpresa.

As empresas precisam ser versáteis para navegar neste momento por meio de mudanças significativas e novas estratégias. É importante manter a equipe a bordo, envolvendo-os nesta jornada e desenvolvendo uma mentalidade de crescimento.

Há uma enorme angústia entre a força de trabalho de hoje. Os funcionários que trabalham em casa têm uma necessidade maior de comunicação e reforço.

4 maneiras de o trabalho mudar após a Covid e 2 erros que os líderes podem cometer
Foto: (reprodução/internet)

O nível de segurança que o escritório costumava oferecer é muito diferente de ficar sentado em casa. Com o aumento do desemprego e mensagens contraditórias de políticos e economistas, a insegurança atingiu o ponto mais alto agora.

Nesse clima, líderes eficazes precisam verificar regularmente, talvez até diariamente, sua equipe, ser comunicadores proativos e ter a mente aberta e ouvir o feedback. Nem todo funcionário se sente confortável para falar, então os gerentes precisam estar alertas para sinais ocultos e palavras não ditas.

O trabalho remoto exige um novo tipo de liderança empática e sensível, capaz de levantar o ânimo das pessoas e desafiar a equipe com objetivos inspiradores.

Além disso, a administração precisa garantir que haja espaço para interações informais (por exemplo, bebidas virtuais às sextas-feiras à tarde) e transformar as reuniões no escritório de uma execução da agenda em um “evento” que também cria um sentimento de pertencimento.

Como disse, nem toda a liderança existente nas organizações se encaixa nessa descrição. Do contrário, é melhor agir e aprender a desenvolver seu estilo de gestão para as necessidades atuais.

Imagine…

Imagine, daqui a um ano, como vamos trabalhar juntos. O impacto duradouro do COVID-19 no trabalho pode ser uma decepção ou um grande sucesso. Depende de nós. Temos agora a oportunidade de implementar as intervenções necessárias para aumentar a satisfação e felicidade da força de trabalho e o sucesso de nossas organizações.

Fique por dentro: Sempre diga isto quando você se relacionar com alguém novo

Traduzido e adaptado por equipe Vagas Liste

Fonte: Ivy Exec

ANÚNCIO